Paixão que maltrata

Dói. Dói como se fosse a única coisa que eu conseguisse sentir. E o tempo apenas amadurece essa dor. Começou como algo ingênuo e até gostoso, mesmo sabendo que as consequencias não seriam as que eu queria, eu me sentia bem por sentir aquilo, por ter descoberto o que é o amor. Mas as complicações surgem, sempre surgem..
O destino se intromete em um sentimento que podia ser só ilusão, para fortalecê-lo e logo, destroi expectativas que, ridiculamente, colocamos no mesmo. Me sinto tentada a fugir, mas não sei para onde, ainda não encontrei o tão sonhado “lugar qualquer que não exista o pensamento em você” cantado pelo Tim. Só nesse lugar, eu poderia apagar tudo o que eu sinto relacionado a você, poderia sentir de novo o que é ser feliz, sem precisar lembrar que não estás comigo e que o que sentes por mim é insuficiente e frágil.
Talvez me odeie por estar obrigando-o a ler isso, caro leitor, mas às vezes precisamos desabafar e, temos que encontrar formas de extravasar o que sentimos para que não acumulemos dentro de nós mesmos, abrangindo essas feridas incuráveis.
O fato, é que querendo ou não, e na maioria das vezes sem querer, nós quando nos apegamos sem perceber a alguém, depois, quando começamos a sofrer, por qualquer que seja o motivo, não conseguimos jogar nosso sentimento no lixo e fingir que ele nunca existiu. E infelismente a cura pra essa dor eu ainda não encontrei e o Tim não está mais aqui pra me mostrar onde se encontra aquele lugar tão sonhado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: