Um pouco sobre felicidade

Fui, recentemente, ao “memorial da resistência”, em São Paulo, e me senti necessitada de fazer esse post. O fato é que este local é onde levavam aqueles contra a ditadura para que ficassem presos esperando sua tortura semanal, ou diária se fosse o caso, muito bem cuidado, alí existem alguns depoimentos de pessoas que sofreram naquele lugar. Me vi, alí dentro, diante da tristeza e dor das tantas pessoas que se afastaram de sua família por dizerem o que pensavam e lutarem pelo que sonhavam, por pedir um país melhor. Eis que em uma sala eu ouço o discurso de um ex-preso, não repercutirei com as mesmas palavras, pois não me recordo, mas foi algo como: “Nos Domingos não tinhamos tortura, pois não era dia de trabalho para os militares, então, lembro-me, que os homens das celas faziam serenatas para suas companheiras, nós conversávamos, era um dia muito agradável na medida do possível.. Acho que na verdade, alguns de nós simplesmente nasceram para ser feliz.”
E assim que ouvi essa última frase todas as minhas fraquezas se abalaram e minha consiência veio a tona se comunicar comigo. Alguém que acordava para esperar sua tortura, dissera que sempre que podia era feliz.
Bastou isso. Uma frase. Para eu perceber o quão fútil eu sou, e provavelmente boa parte do mundo também. Isso parece meio revoltoso, e talvez seja mesmo..
Nossa felicidade está dentro de nós, e em qualquer, qualquer circunstância podemos achá-la, basta termos força de vontade e fé. Olhe em volta, e nos seus momentos de revolta perceba o quanto seu mundo é perfeito, olhe para si e veja suas condições inabaláveis, pois até os carcereiros eram felizes, presos eles faziam poemas, cartas, cantavam quando podiam, e nós aqui dentre nossas lágrimas inconsequentes criadas sem nenhum motivo.
Eu me analisei, profundamente, e me envergonhei dos meus momentos de “quero morrer” ou “minha vida é uma bosta” espero que percebam que realmente há alguns que nascem para ser feliz, e veja se você é um desses casos.

Anúncios

10 Comentários (+adicionar seu?)

  1. JullyanneRayssa
    out 16, 2010 @ 23:51:43

    Que liindo amiga amei :O // Pra variar néh ?

  2. iasminmendes
    out 16, 2010 @ 23:54:00

    Owm, obrigada mesmo.

  3. Rafaela
    out 17, 2010 @ 01:04:27

    Que lindo, e o pior que é verdade. Parabéns, ficou muito lindo mesmo. Beijos

  4. iasminmendes
    out 17, 2010 @ 01:08:52

    Obrigada amiga. É, é verdade sim, ainda bem que eu não descobri tarde demais.

  5. stellio mendes
    out 17, 2010 @ 15:03:35

    o local traz realmente reflexões muito fortes. particularmente me comeoveu a cela onde ficaram presos os dominicanos – que foi onde ouvimos os relatos, lembra? belíssimo texto, min. valeu!!!!!

  6. iasminmendes
    out 17, 2010 @ 18:23:17

    Obrigada. E com certeza não esquecerei!

  7. Tio Mef
    out 17, 2010 @ 19:20:24

    Nossa Iasmin, foi profundo hein… acho que vou antecipar minha próxima sessão da análise… rsrs…

  8. iasminmendes
    out 17, 2010 @ 22:13:59

    Hahaha. Obrigada (:

  9. Carla Teíde
    out 18, 2010 @ 16:49:44

    Realmente um lindo texto,mais uma vez fico emocionada c teu talento de transformar palavras em poesia,reflexão,vida.Amo vc!Cheiro!

  10. iasminmendes
    out 19, 2010 @ 23:26:31

    Obrigada, faço o que posso, é necessário que essas coisas sejam valorizadas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: